Pesquisar este blog

domingo, 16 de março de 2014

Pegadas

Poema de Tarso Correa


Pegadas.

São gritos vazios,
São palavras soltas,
Que vagas, levadas na vaga do tempo;
Que lento, segue e se aprofunda,
No âmago do ser;
Que no fim do seu sono,
Acorda para ver,
O que passou,
O que deixou,
O que ficou;
Como um simples sinal
Nada mais, que um simples final.

REFLEXO ATEMPORAL

REFLEXO ATEMPORAL - poema de Tarso Corrêa Sou invisível, algumas vezes; Causo estranheza, repulsa; quase sempre, Mas mesmo que me menos...