Pesquisar este blog

terça-feira, 11 de março de 2014

Espelho de luz

Poema de Tarso Correa de 13/09/2000


Espelho de luz


Luz plasmada,
Gotas de ar solidificada,
Vibrações em um corpo de neon,
Boca , ventre e alma;
Energias convexas a procriar;
Cópias de Deus a modelar,
Imagens de barro embrulhadas em papel crepom.
Tu és cocriadora
Espelho divino, simplicidade no complexo,
Que tange e passeia no tempo como se não tivesse nexo,
Seguindo um hino, um destino.
Alma, corpo e luz
Energias convexas a procriar;
Somos todos teus filhos, como energias côncavas a girar,
A subtrair, a pedir...
Que seja sempre mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem titulos, uma forma de protesto

Poema de Tarso Correa Será que vale um rio? Será que vale uma montanha? Será que vale vidas? Vale sim um vazio, Um vale de lama, Um v...