Pesquisar este blog

domingo, 10 de abril de 2016

Alma Seca - Poema de Tarso Correa

Poema de Tarso Correa




Alma Seca


Passo raso, lasso,
Sem compasso,
Na indecisão do perdão,
Na verbalização do não;
Sem o laço do abraço,
Enlaçado pela frieza do aço;
O vaguear no tormento,
Na frigidez da indiferença,
Do amor sem crença,
Do sorriso seco como lamento;
Olhos frios a pulsar mágoas como calafrios,
Na escuridão do tempo que escorre lento.

REFLEXO ATEMPORAL

REFLEXO ATEMPORAL - poema de Tarso Corrêa Sou invisível, algumas vezes; Causo estranheza, repulsa; quase sempre, Mas mesmo que me menos...