Pesquisar este blog

domingo, 10 de abril de 2016

Alma Seca - Poema de Tarso Correa

Poema de Tarso Correa




Alma Seca


Passo raso, lasso,
Sem compasso,
Na indecisão do perdão,
Na verbalização do não;
Sem o laço do abraço,
Enlaçado pela frieza do aço;
O vaguear no tormento,
Na frigidez da indiferença,
Do amor sem crença,
Do sorriso seco como lamento;
Olhos frios a pulsar mágoas como calafrios,
Na escuridão do tempo que escorre lento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem titulos, uma forma de protesto

Poema de Tarso Correa Será que vale um rio? Será que vale uma montanha? Será que vale vidas? Vale sim um vazio, Um vale de lama, Um v...