Pesquisar este blog

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Rasgar Horizontes


Poema de Tarso Correa


Rasgar Horizontes



Sou um desajustado, desequilibrado, desarmonizado;
Permito-me evoluir,
Não criar raiz no cotidiano,
Mudar, trocar os panos,
Desconstruir,
Sempre seguir;
Sou um ser mutante, inconstante,
Totalmente errante;
A cada passo uma conquista,
A cada conquista uma troca de pele,
Que me expele, impele,
A um novo mundo,
No qual me fecundo;
Não carrego o fardo do medo,
De um acerto ou um erro,
Não guardo segredo;
Só quero ser amplo ser pleno,
Nada mais nada menos.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Caminhar Vesgo

Poema de Tarso Correa



Caminhar vesgo,



Entre o certo e o contraditório,
Prefiro a dúvida, o caminho torto;
Nem céu ou inferno, só meio termo, basta o purgatório;
Não quero nada pronto, construo meu caminho,
Trançando os pés, buscando meu porto.

Sem titulos, uma forma de protesto

Poema de Tarso Correa Será que vale um rio? Será que vale uma montanha? Será que vale vidas? Vale sim um vazio, Um vale de lama, Um v...