Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Laços

Poema de Tarso Correa

Laços


O trançar dos braços,
No nó do abraço,
Calor de receber e dar,
Ato do amor, simplesmente trocar, tocar;
São laços que se fundem,
Carinhos que nos unem;
É expressar sem falar,
É a síntese dos sentimentos sentidos,
Na simplicidade do envolver,
De só querer,
Querer te querer.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

presença

Poema de Tarso Correa




Presença




Desde quando nasceste, caminho ao teu lado,
Não cobro de ti carinho, afago ou indiferença,
Sou apenas a tua sombra, a sua eterna presença;
Estou ao teu lado nas tuas alegrias e nas tristezas,
Na letargia da solidão, nos encontros, na multidão;
Presencio os estágios do teu caminhar,
A necessidade da autoridade,
A rebeldia da juventude,
A decrepitude na velhice;
Caminho ao teu lado,
Nos primeiros passos,
Na primeira conquista,
Na primeira lágrima,
Na primeira perda;
Estou a teu lado.
Aguardo o teu tempo,
Que pode ser rápido ou lento,
Para dar-te a mão e seguirmos em outra direção;
Sou aquela que primeiro te acarinhou,
A que lhe deu o sopro da vida,
Este hálito tênue e cálido,
Que escoa rápido como uma chuva fina,
Por entre as calçadas do infinito,
Refletindo cenas na nossa retina,
De um mundo circunscrito.
Sou sua eterna enamorada e consorte,
Sou simplesmente a morte.

Sem titulos, uma forma de protesto

Poema de Tarso Correa Será que vale um rio? Será que vale uma montanha? Será que vale vidas? Vale sim um vazio, Um vale de lama, Um v...