Pesquisar este blog

domingo, 16 de março de 2014

Seguir.....

Poema de Tarso Correa

Seguir.....


Nas pétalas da evolução da vida,
Formei a flor do meu destino;
Com os espinhos, marquei o meu caminho.
Sigo em frente, caminhante errante,
Mariposa bruxuleante,
A vaguear no ar;
No ar dos meus pensamentos,
Que ora, e outrora
Foram meu carrasco, meu tormento;
Agora, despojo-me deste pesado manto,
Rasgando estas vestes de amianto,
Alçando o voo dos pássaros celestes
A beijar o infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem titulos, uma forma de protesto

Poema de Tarso Correa Será que vale um rio? Será que vale uma montanha? Será que vale vidas? Vale sim um vazio, Um vale de lama, Um v...