Pesquisar este blog

domingo, 9 de março de 2014

Talvez, sim e não

Poema de Tarso Correa de 16/01/2007


Talvez, sim e não.....


Entre o sim e o não,
Talvez o não seja a razão de todo sim;
Ou o sim seja o início de todo não;
Para quem quer o que não pode, pede o que não quer.
O que quer é um sim, a caminho de um não.
Um talvez, quem sabe um sibilo de um sim
Perdido na frenética vazia de que não sabe o que não pode ser.
E, transforma o ato no gesto do não.
Um sim manietado, manipulado;
Um sim castrado, pelado, suado,
Na vergonha de um som arrastado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sem titulos, uma forma de protesto

Poema de Tarso Correa Será que vale um rio? Será que vale uma montanha? Será que vale vidas? Vale sim um vazio, Um vale de lama, Um v...